Região

Toda a região é marcada pelo granito, pelo clima contrastado de montanha e pelo seu ar puro e frio que permite a cura e manufatura de fumeiro e queijaria de altíssima qualidade. É também a partir desta região que vertem as linhas de água subsidiárias das maiores bacias hidrográficas que abastecem as três maiores cidades de Portugal: para a bacia do Tejo que abastece Lisboa, para a Bacia do Mondego que abastece Coimbra e para a bacia do Douro que abastece o Porto. Existe mesmo na localidade de Vale de Estrela (a 6 km da cidade da Guarda) um padrão que marca o ponto triplo onde as três bacias hidrográficas se encontram.

A Torre dos Ferreiros, uma das antigas portas de entrada na cidade. Julga-se que seja do séc. XIII, tendo em conta a arquitetura das suas portas. A Torre dos Ferreiros constitui um dos baluartes mais significativos da cidade. No seu interior podemos encontrar uma das suas particularidades: três portas, uma delas de guilhoti- na, que quando encerrada, a tornava inexpugnável. Na Rua dos Ferreiros há que realçar a existência da única loja de artesanato certificada na Guarda. No seu interior poderemos vislumbrar uma antiga oficina de execução de trabalhos em folha de Flandres e latoaria.

Na Praça Luís Camões ou Praça Velha, aqui a Sé Catedral da Guarda impõe-se pela sua grandiosidade e beleza. Construída entre os séculos XIV e XVI, reflete a evolução das filosofias construtivas que percorreram estes séculos. Do estilo Românico ao Manuelino, passando pelo Renascentista, a Sé Catedral soube incorpo- rar e harmonizar as diversas correntes arquitetónicas.